SP vai produzir remédios contra rejeição de transplantes para o SUS

(03/12/2012) A Fundação para o Remédio Popular (Furp), laboratório farmacêutico oficial do governo do Estado de São Paulo, vinculado à Secretaria de Estado da Saúde, irá produzir dois medicamentos para tratamento de pacientes submetidos a transplantes com distribuição gratuita pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Por meio de parceria com a Novartis, haverá transferência de tecnologia para que a Furp possa fabricar os remédios, beneficiando aproximadamente 28 mil pacientes brasileiros que hoje fazem uso de Micofenolato de Sódio e Everolimo, dois dos medicamentos mais utilizados para evitar a rejeição de rins e coração transplantados.

A expectativa, no entanto, é que novos pacientes sejam beneficiados a cada ano, especialmente no Estado de São Paulo, que responde por cerca de 50% dos transplantes de órgãos realizados no Brasil. De janeiro a setembro deste ano foram realizados 1.026 de rim e 60 de coração no Estado.

Segundo o médico Flávio Vormittag, superintendente da Furp, com a produção pelo laboratório oficial do governo do Estado o país deverá se tornar, em poucos anos, autossuficiente na produção dos dois medicamentos, o que representará economia para os cofres públicos.

“A Furp é hoje o maior fabricante público de remédios do Brasil. Por isso ocupa posição estratégica nas políticas públicas de saúde, e esta parceria será uma grande oportunidade de produzirmos medicamentos de alta tecnologia, o que inegavelmente traz muitos benefícios para a população”, explica Flávio.

Segundo o diretor industrial da Furp, Adivar Cristina, esse foi o passo inicial para a Fundação alcançar um novo patamar tecnológico. "Esta associação é muito importante, pois daremos início a produção de medicamentos de alta complexidade", explica.

A parceria tem duração prevista de três a cinco anos, tempo para que a transferência da tecnologia esteja finalizada. O acordo ainda prevê a inclusão da transferência de tecnologia para uma variação do Everolimo adequada para o tratamento de três tipos de tumores: neuroendócrino, tumor cerebral infantil SEGA e câncer renal.

O início do processo de operação e transferência de tecnologia se dará a partir de 2013 e já em 2014 os primeiros lotes dos medicamentos poderão ser fornecidos ao Ministério da Saúde para distribuição à população. O Ministério necessita atualmente de 259,8 mil unidades de Everolimo por ano, além de 28,8 milhões de comprimidos de micofenolato de sódio.

A Furp atua em mais de três mil cidades brasileiras, com cerca de seis mil clientes cadastrados, entre secretarias estaduais de saúde, hospitais públicos, consórcios de municípios, prefeituras, instituições estaduais, federais, municipais e filantrópicas, além de sindicatos e fundações. O laboratório também administra 18 unidades “Farmácia Dose Certa”, responsáveis por ampliar o acesso da população do município de São Paulo aos medicamentos do Programa Dose Certa.

Caius Lucilius com assessoria de imprensa da Furp

Assessoria de Imprensa do HC Unicamp

Share/Save