Enfermagem do HC realiza campanha de higienização das mãos

(09/05/2012) O Departamento de Enfermagem do HC da Unicamp realiza em várias áreas do hospital até sexta-feira (11-5), a campanha de Higienização das Mãos. Antecipando a programação da Semana de Enfermagem do HC, profissionais do departamento estão visitando as áreas de assistência para a realização de atividades de conscientização. Lavar as mãos corretamente é a maneira mais simples de evitar a propagação de infecções relacionadas à assistência em saúde, transmitidas em sua maioria através do contato entre o profissional e o paciente.

 

"É a primeira campanha utilizando essa estratégia e reforçando as ações do CCIH que todos os anos distribui panfletos com orientações e precauções sobre a higienização correta das mãos", lembra a enfermeira Angélica Olivetto de Almeida, da Seção de Enfermagem em Educação Continuada. A campanha ocorre em sintonia com a ação da Organização Mundial da Saúde que estabeleceu o dia 05 de Maio, como data mundial de lavagem das mãos, dentro da campanha 'Salve Vidas: Limpe suas Mãos' que abrange mais de 15 mil estabelecimentos de saúde em 156 países.

 

Esse ano, por iniciativa do Departamento em parceria com GGBS (Grupo Gestor de Benefícios Sociais da Unicamp) e REBRAENSP (Rede Brasileira de Enfermagem na Segurança do Paciente), além da distribuição de camisetas, será realizada uma atividade educativa utilizando técnica com luz negra e gel fluorescente (foto). "Assim o profissional pode visualizar a eficácia da técnica de higienização. Seguindo uns dos propósitos da Rede de Segurança do Paciente que é estimular ações para a Segurança do Paciente", completa a enfermeira.

 

A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) alerta que as taxas de infecção e resistência microbiana são maiores nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), devido a internação prolongada e ao maior número de procedimentos invasivos.

 

A higienização é necessária antes da preparação e aplicação de medicamentos, antes e depois do uso de luvas - que não substituem a lavagem, antes e depois do contato com os pacientes. O uso de água e sabão é indicado quando as mãos estão visivelmente sujas. A preparação alcoólica é recomendada quando a sujeira não é visível, em geral, antes e após o contato com o paciente durante a realização de exames ou aplicação de remédios. Outra opção é o uso de anti-sépticos para os casos de surto de infecção, nos procedimentos pré-operatórios e invasivos.

 

A técnica utilizada também é importante. Anéis, pulseiras e relógios têm que ser retirados e as mãos devem ser ensaboadas friccionando a palma, o dorso, os espaços interdigitais e as extremidades - os antebraços também são lavados. É importante não tocar diretamente na torneira após a lavagem.

 

Dia Mundial da Lavagem das Mãos

 

No último dia 05 de Maio, mais de 15 mil estabelecimentos de saúde em 156 países participaram da ação 'Salve Vidas: Limpe suas Mãos', que estabeleceu o compromisso de implementar melhores práticas de higienização. Uma mobilização que envolveu quase 10 milhões de agentes de saúde ao redor do mundo.

 

Dados da OMS apontam que de cada 100 pacientes internados, pelo menos sete em países desenvolvidos e dez em países em desenvolvimento irá adquirir alguma infecção derivada da higienização incorreta. Em unidades de terapia intensiva, esse número sobe para cerca de 30%.

 

A pesquisa realizada em 2 mil estabelecimentos de saúde em 69 países apontou que 65% deles estão em um bom nível de progresso no que diz respeito à promoção da higiene das mãos, recursos e atividades. Mas 35% deles ainda apresenta situação inadequada. A promoção de atividades de conscientização já é feita em mais de 90% dos estabelecimentos de saúde, mas a melhora ainda é necessária em áreas como monitoramento das práticas.

 

 

Assessoria de Imprensa do HC Unicamp
Share/Save