Detecção precoce de câncer aumenta chance de cura

(11/05/2011)  No mês em que se comemorou o Dia Mundial de Combate ao Câncer (8 de abril), especialistas alertam para a importância do diagnóstico precoce da doença. Quando detectado e iniciado o tratamento adequado, as chances de cura são maiores. O câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 tipos de doenças e em todo mundo os tumores de pulmão e próstata são os mais freqüentes no sexo masculino, enquanto, que no sexo feminino, as maiores ocorrências são de tumores de mama e colo do útero. Para os dois sexos o mais comum e o melanoma (câncer de pele).

 

O câncer têm em comum o crescimento desordenado de células, que invadem tecidos e órgãos. Dividindo-se rapidamente, estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores malignos, que podem espalhar-se para outras regiões do corpo. As causas de câncer são variadas, podendo ser externas ou internas ao organismo, estando inter-relacionadas. As causas externas referem-se ao meio ambiente e aos hábitos ou costumes próprios de uma sociedade. As causas internas são, na maioria das vezes, geneticamente pré-determinadas, e estão ligadas à capacidade do organismo de se defender das agressões externas.

 

O atendimento público no Brasil é realizado principalmente em Centros de Referência de Alta Complexidade em Oncologia (CACON), que são instituições credenciadas para atender a todos os tipos de câncer e contar com serviço de cirurgia oncológica, serviço de oncologia clínica, radioterapia e hematologia. Na macrorregião de Campinas, o Complexo Hospitalar da Unicamp (HC, CAISM e Hemocentro) é o único credenciado como CACON pelo SUS. No HC, cerca de 80 por cento dos pacientes atendidos são procedentes de municípios da região de Campinas e 20% de outras regiões ou outros Estados. No interior existem CACONs em Barretos, Jaú, Marília, Ribeirão Preto e S. J. Rio Preto.

 

De acordo com a docente Carmen Sílvia Passos Lima, responsável pela disciplina de Oncologia Clínica da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, as principais medidas terapêuticas para os portadores de câncer ainda são a ressecção cirúrgica do tumor, a radioterapia e a quimioterapia. "O câncer é uma doença cuja incidência tem aumentado progressivamente em todo o mundo com reflexos cada vez maiores em instituições hospitalares e últimos cinco anos o número de consultas dobrou", esclarece Carmem Lima.

 

No serviço de Oncologia do HC da Unicamp são atendidos predominantemente os portadores de tumores de cabeça e pescoço, estômago, intestino e reto, esôfago, pulmão e de próstata. "Os tumores da pele, muito frequentes, são atendidos nos ambulatórios de Dermatologia, enquanto que os da mama e do colo do útero, também muito rotineiros são atendidos no CAISM. No Hemocentro estão disponibilizadas consultas para os casos de pacientes com doenças onco-hematológicas, como as leucemias e os linfomas", explica a docente.

 

No HC são cerca de 13000 consultas e 1000 casos novos por ano. Ainda dentro da complexidade de oncologia, o HC realiza em média por ano 63 mil aplicações de radioterapia, 4800 infusões de quimioterapia e 550 cirurgias anuais. Já os indicadores da Fundação Oncocentro de São Paulo demonstram que em São Paulo nos biênios compreendidos entre 1997 e 2008, as neoplasias malignas apareceram como a segunda principal causa de mortalidade, superadas apenas pelas doenças do aparelho circulatório. Entre o início e o fim da série temporal, as mortes por câncer passaram de 14,0% para 17,7%.

 

Segundo a oncologista, a resposta ao tratamento em câncer depende do tipo do tumor, grau de agressividade, extensão do tumor e da condição física do paciente no momento do diagnóstico. "Em geral, os pacientes com tumores da pele que não seja um melanoma são curados com a ressecção do tumor por cirurgia. Já os pacientes com tumor do intestino e reto têm prognóstico moderado e os com tumor do esôfago e do pulmão têm prognóstico reservado, mesmo quando tratados adequadamente com cirurgia, radioterapia e quimioterapia", detalha a médica.

 

No organismo existem de diversos tipos de células por isso vários tipos de câncer. A pele, por exemplo, apresenta mais de um tipo de câncer, pois é formada por mais de um tipo de célula. Quando originado em tecidos epiteliais, pele ou mucosa, o câncer é denominado carcinoma. Já se ele for original de tecidos conjuntivos, como ossos, músculos ou cartilagem é chamado de sarcoma. Se o câncer tem início na medula óssea é chamado de leucemia.

 

Os casos de câncer relacionados exclusivamente a fatores herdados de ascendentes, como pais e avós são raros, apenas 5% a 10% dos cânceres são ditos hereditários. A maioria dos cânceres (90% a 95%) são determinados por fatores externos, como o meio ambiente, hábitos e costumes presentes em nosso dia-a-dia. "Por isso é possível reduzir os riscos de desenvolver um tumor", diz.

 

Sem grandes transtornos em nossa rotina, com pequenas mudanças como, a não exposição a agentes químicos, como o benzeno, que pode causar leucemia, o cigarro pode causar câncer do pulmão, a ingestão de bebidas alcoólicas pode causar câncer do fígado, a exposição excessiva ao sol pode causar câncer da pele e a alguns vírus e bactérias, como o papilomavírus humano e a bactéria Helicobacter pylory podem causar o câncer do colo do útero e o câncer do estômago, respectivamente.

 

Alguns estudos ainda revelaram que certos alimentos, como carnes churrasqueadas, defumadas e os embutidos também são fatores de risco, particularmente para os tumores de estômago e de intestino. "Pensar nos alimentos que ingerimos diariamente é um passo importante para sairmos vitoriosos nessa luta", afirma Carmen

 

Segundo a oncologista, a resposta ao tratamento em câncer depende do tipo do tumor, grau de agressividade, extensão do tumor e da condição física do paciente no momento do diagnóstico. "Em geral, os pacientes com tumores da pele não melanoma são curados com a ressecção do tumor por cirurgia. Já os pacientes com tumor do intestino e reto têm prognóstico moderado e os com tumor do esôfago e do pulmão têm prognóstico reservado, mesmo quando tratados adequadamente com cirurgia, radioterapia e quimioterapia", esclarece a médica.

 

O câncer de próstata acomete apenas homens, o câncer de cabeça e pescoço acomete predominantemente homens tabagistas e etilistas enquanto que o câncer de mama afeta homens raramente. Embora o câncer possa acometer indivíduos de qualquer faixa etária, é mais comum em idosos, que viveram o suficiente para que fossem expostos aos fatores ambientais e hábitos relacionados à origem da doença. No HC os pacientes, em geral, chegam ao com tumores avançados, o que possivelmente reflete as dificuldades de acesso a serviços de diagnóstico e tratamento de câncer.

 

A explicação para este crescimento pode ser atribuída a vários fatores que estão relacionados à maior exposição dos indivíduos a agentes cancerígenos e às características da vida moderna. "Outro fator muito importante, principalmente para os países em desenvolvimento, é a redução das taxas de mortalidade e consequente prolongamento da expectativa de vida e envelhecimento populacional, levando ao aumento da incidência de doenças crônico-degenerativas, especialmente as cardiovasculares e o câncer", detalha Carmen.

 

Para prevenir o câncer uma boa medida é adotar um estilo de vida saudável, de forma a minimizar os riscos de adquirir essa doença. As dez dicas do Instituto Nacional de Câncer (INCA) para a prevenção do câncer são:

 

1. Pare de fumar - Esta é a regra mais importante para prevenir o câncer. 

2. Uma alimentação saudável pode reduzir as chances de câncer em pelo menos 40%. Coma mais frutas, legumes, verduras, cereais e menos alimentos gordurosos, salgados e enlatados. Sua dieta deveria conter diariamente, pelo menos, cinco porções de frutas, verduras e legumes. Dê preferência às gorduras de origem vegetal como o azeite extra virgem, óleo de soja e de girassol, entre outros, lembrando sempre que não devem ser expostas a altas temperaturas. Evite gorduras de origem animal (leite e derivados, carne de porco, carne vermelha, pele de frango) e algumas gorduras vegetais como margarinas e gordura vegetal hidrogenada. 

3. Evite ou limite a ingestão de bebidas alcoólicas. Os homens não devem tomar mais do que dois drinks por dia, enquanto as mulheres devem limitar este consumo a um drink. Além disso, pratique atividades físicas moderadamente durante pelo menos 30 minutos, cinco vezes por semana. 

4. É aconselhável que homens, entre 50 e 70 anos, na oportunidade de uma consulta médica, orientem-se sobre a necessidade de investigação do câncer da próstata

5. Os homens acima de 45 anos e com histórico familiar de pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos devem realizar consulta médica para investigação de câncer da próstata. 

6. As mulheres, com 40 anos ou mais, devem realizar o exame clínico das mamas anualmente. Além disto, toda mulher, entre 50 e 69 anos, deve fazer uma mamografia a cada dois anos. As mulheres com caso de câncer de mama na família (mãe, irmã, filha, diagnosticados antes dos 50 anos), ou aquelas que tiverem câncer de ovário ou câncer em uma das mamas, em qualquer idade, devem realizar o exame clínico e mamografia, a partir dos 35 anos de idade, anualmente. 

7. As mulheres com idade entre 25 e 59 anos devem realizar exame preventivo ginecológico. Após dois exames normais seguidos, deverá realizar um exame a cada três anos. Para os exames alterados, deve-se seguir as orientações médicas. 

8. É recomendável que mulheres e homens, com 50 anos ou mais, realizem exame de sangue oculto nas fezes, a cada ano (preferencialmente), ou a cada dois anos. 

9. No lazer, evite exposição prolongada ao sol, entre 10h e 16h, e use sempre proteção adequada como chapéu, barraca e protetor solar. Se você se expõe ao sol durante a jornada de trabalho, procure usar chapéu de aba larga, camisa de manga longa e calça comprida. 

10. Realize diariamente a higiene oral (escovação) e consulte o dentista regularmente.

 

Saiba mais no site: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/cancer/site/oquee

 

Caius Lucilius

Assessoria de Imprensa do HC Unicamp
Share/Save