Oftalmologia do HC comemora Dia Mundial da Visão

(24/10/2011) O Serviço de Oftalmologia do HC da Unicamp comemorou o Dia Mundial da Visão - WSD 2011 – com ações pontuais de atendimentos de pacientes de Indaiatuba e Atibaia. O WSD é um dia internacional de esclarecimento, realizado anualmente na segunda quinta-feira do mês de outubro, para chamar atenção na questão global de cegueira e deficiência visual. No Brasil, o foco deste ano foi para a cegueira por catarata e a falta de óculos. O serviço atende em média 7.000 pessoas por mês no hospital e as maiores demandas são catarata; urgências oculares (traumas, perfuração e queimaduras); glaucoma; doenças palpebrais e retinopatia diabética.

De acordo com o professor Carlos Eduardo Leite Arieta as ações relacionadas ao WSD 2011 se concentraram no atendimento de pessoas com mais de 50 anos, no dia 8 de Outubro na cidade de Indaiatuba, em parceira com a EPTV. Todos os casos, explica, de pessoas com cegueira ou deficiência visual, além dos casos positivos para catarata tiveram a cirurgia agendada no HC da Unicamp. No último dia 22 (sábado), foram atendidas 1.000 crianças da rede pública de Atibaia, selecionados após medida da acuidade visual realizada por professores treinados pelos médicos do Serviço de Oftalmologia do HC da Unicamp.

No Brasil a principal causa de deficiência visual continua sendo a catarata não operada. Apesar do aumento do número de cirurgias de catarata oferecidas pelo SUS de 1999 até 2007 o problema está longe de ser solucionado, ressalta Arieta. Estima-se que são necessárias 570.000 cirurgias por ano no Brasil para que ocorra eliminação da cegueira por catarata, de acordo com o programa Visão 2020 - O Direito a Visão, do IAPB (Agencia Internacional de Prevenção à Cegueira, da OMS).

Para países em desenvolvimento o cálculo se baseia na taxa de cirurgias de catarata, que deveria se situar ao redor de 3.000 cirurgias por milhão por ano, incluindo nesta soma, todas as cirurgias realizadas no país. Tendo a referência do SUS como responsável pelo atendimento de cerca de 70% da população, seriam quase 400.000 cirurgias. O docente da Unicamp acrescenta que em todo mundo, os vícios de refração não corrigidos representam a principal causa de deficiência visual, enquanto nos países de médio e baixo nível sócio econômico, a catarata continua sendo a causa principal.

Estimativas mundiais demonstram que o número de pessoas com doenças visuais, cuja causa é ocasionada por doenças infecciosas, diminuiu drasticamente nos últimos anos. Mas os especialistas asseguram que 80% de toda deficiência visual pode ser evitada ou curada. Hoje existem no mundo aproximadamente 284 millhões de pessoas que são deficientes visuais, sendo 39 milhões cegos e 245 milhões tem baixa visão. Desse grupo, cerca de 90% vivem em países em desenvolvimento, 65 % estão na faixa etária acima dos 50 anos e 19 milhões de crianças são deficientes visuais.

 

Caius Lucilius 
Assessoria de Imprensa do HC Unicamp

Share/Save